segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Saudades de nada, nem de ninguém. Apenas vontade...


Revisando minhas primaveras percebi que passo muito tempo reclamando de saudades. E na verdade, o que eu tenho é vontade. Vontade de acrescentar.

Não fico acalentando os bons acontecimentos do passado durante muito tempo. O que sinto, noventa por cento do meu tempo, é uma necessidade imensa de viver coisas novas com as pessoas antigas. Como também, mostrar coisas antigas a pessoas novas, que estão por aqui a colorir o meu mundo preto e branco.

Interessante como demoramos tanto a saber o que realmente queremos. Foi preciso sentir tanta dor, para saber que metade delas são totalmente desnecessárias. Foi preciso rir tanto risos para saber qual graça realmente me cai bem. E foi preciso 30 anos para que eu pudesse saber que meu destino nunca foi morrer de saudade, e sim, viver todas as alegrias que a vida me apresenta.

É doce constatar que não há vazios, nem fantasmas, nem carência extrema, apenas paixão. Paixão pelo que ainda não foi visto, nem feito, nem vivido. . . vontade no sentido pleno e voraz da palavra.



sau.da.de

s. f. 1. Recordação nostálgica e suave de pessoas ou coisas distantes, ou de coisas passadas. 2. Nostalgia.



5 comentários:

Dolores disse...

Eu tava tentando me conter...pra não parecer assim, como dizer, metida...mas eu tô em todas rsrsrsrsrs... Brincadeirinha a parte é muito bom conhecer coisas novas e antigas com você!!!

Aquela Que Escreve disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aquela Que Escreve disse...

Minha Danda, isto me lembra algumas conexões que temos, simplesmente um estalo e o outro não sai da mente.
Nos vemos menos do que eu gostaria mas nunca nos perdemos, eu acredito que isto é o que o mundo inteiro gostaria de ter, um amor além dessas convenções de tempo e espaço.

Anônimo disse...

Tentei parar
Evitar
Não ser
Nem tentar

Tentei retroceder
Desconectar
Não ver
Nem influenciar

Tentei não pensar
Desviar
Não existir
Nem respirar

Mas olha que coisa
Que coisa que vou contar
Coisas antigas com gente nova
Gente nova com coisas antigas
Coisas boas com gente boa
E essas duas meninas
Prontas pra aprontar
O que um menino poderia querer mais?

Ass. um menino bonzinho

Jotagomes disse...

Menina,
Assina o que escreves porque quando tivermos uns 50 podemos dividir um livro...