quarta-feira, 22 de julho de 2009

O Tempo


. . .
Eu que nunca discuti o amor

Não vejo como me render
Ah, será que o tempo tem tempo pra amar?
Ou só me quer tão só?
E então se tudo passa em branco eu vou pesar

A cor da minha angústia e no olhar

Saber que o tempo vai ter que esperar

E o tempo engatinhar
Do jeito que eu sempre quis
Se não for devagar
Que ao menos seja eterno assim


Trecho da música O Tempo da Banda Móveis Coloniais de Acaju

5 comentários:

Chay Fernandes disse...

Tive uma 'iluminação' indo ao trabalho hoje pela manhã... ;]

FredPontes disse...

Essas iluminações salvam o dia das pessoas, as vezes.
Beijos, moça!

Aquela Que Escreve disse...

hummm... eu deveria reconhecer esta ampulheta?

O tempo é algo tão difuso e constante. Eu só sei que caminhamos sobre o tempo.

FredPontes disse...

Talvez não, talvez não...rsrsrs

Chay Fernandes disse...

Ultimamente o tempo é que anda sobre mim. Embora, sobre mim, devessem estar outros poros... :p