sábado, 16 de agosto de 2008

Na Linha do Horizonte - Sérgio Britto


Você vai embora dali
Que eu vou embora daqui
Se aproxima de si
Que eu me aproximo de mim
Você prossegue consigo
Que eu comigo prossigo
Você consegue, eu consigo
Você periga, eu perigo
Não te persigo mais
Não te persigo mais (mas)

Na linha do horizonte a gente pode se cruzar
Ali onde o poente encontra com a beira do mar
Na linha do horizonte a gente pode se cruzar
A gente pode se encontrar, pode se encontrar

2 comentários:

Chay Fernandes disse...

“Tudo é uma questão de manter a mente quieta a espinha ereta e o coração tranqüilo”


Não preciso ter fome de futuro, nem necessidade de devorar o presente. Tudo ta encaminhado, agora é administrar. Preciso perceber que o meu medo é uma trava de segurança, quando meus pensamentos e expectativas estão ultrapassando os limites propostos pela situação, e aprender a lidar melhor com isso. Também não preciso temer um sentimento que já existe. A gente não escolhe sentir, só escolhe cuidar ou não do que está sentindo. E o mais importante é ter consciência de tudo e dá um passo de cada vez. Respeitar o que eu não posso mudar e sem viver com essa necessidade crônica de atenção. Acho que estou conseguindo enquadrar respostas razoáveis aos meus questionamentos internos. Nada melhor que um bate-papo consigo mesmo ;)

Fred disse...

Linda música. Hoje acordei vislumbrando essa linha...