quarta-feira, 23 de maio de 2007

Conclusão...


" Eu bato o portão sem fazer alarde
Eu levo a carteira de identidade
Uma saideira, Muita saudade
E a leve impressão de que já vou tarde..."
* fragmento da música Trocando em Miúdos - Chico Buarque de Holanda
Por que partir é sempre tão difícil? Mesmo sabendo que é o melhor sempre fica a sensação de que algo está se partindo. Eu quis ir agora para manter as boas lembranças... para lembrar com saudades... para persistir na amizade. Toda história repassa na minha cabeça e eu não sei por que o que era legal foi ficando obrigatório. Talvez meus sentimentos nunca tenham sido entendidos, às vezes nem por mim mesma.
No começo eu tinha uma certeza. A certeza de que eu sempre poderia contar com ele. Eu sempre precisei de certezas... não por medo do futuro, mas categoricamente apavorada com o passado. É ruim acordar pela manhã, se olhar no espelho e dizer: “é só contigo que você pode contar”. Claro que os amigos e a família te circundam, mas eles não podem fazer tudo, por mais que queiram.
Não posso dizer que queria que fosse diferente. Nesse momento eu não sei o que é diferente, eu só sei que não dá.

Um comentário:

jdos84 disse...

É estranho notar que, apesar de todas as ligações que fazemos na vida, estamos sós.
Embora tenhamos bons amigos, familia,namorado, marido...sei lá...
Pessoas que de fato se importam com a gente...
O mais estranho é entender e sentir que precisamos de pessoas por perto e notar como é difícil mantê-las... É complicadíssimo!!!!
Exige grande esforço, força, paciência, amor, amizade... e reciprocidade!!!

Em todo caso, só não vale desistir!!!!